Lara Lunardi

BANNER ENTREVISTA LARA

Enerdizando- Lara, a turma do Enerdizando te adora. Você foi a primeira convidada a participar do programa na edição de estréia e sempre será muito especial para nós. Sucesso e não deixe de nos visitar quando vier ao Brasil!
Lara- Primeiramente, muito obrigada pela oportunidade! Eu adoro trabalhar com vocês e sinto muitas saudades.
__________________________________________________________________________________________________________________

Firecracker_Jinx_composite cópia

 1- Enerdizando: Como, quando e onde nasceu a vontade de ser cosplayer?
Lara – Eu acho que já nasci meio cosplayer. Desde pequenina, eu sempre me vestia com fantasias. Minha mãe viajava muito a São Paulo, e sempre que ela ia, eu pedia para me trazer fantasias de presente. Ela tinha sempre um horário certo para chegar. Naquela época, era bem tarde para uma menininha de 5 ou 6 anos. Eu lembro que todas as sextas, no Candanguinho (escola onde estudei até a 4ª série), a gente podia levar um brinquedo. Eu sempre levava fantasias. Lembro do dia em que eu levei um vestido de noiva (da apresentação de festa junina) e um cajado do Toy Story, e eu achava que estava “a cara” da Sakura Card Captor hahaha!
Eu comecei a fazer cosplay quando tinha uns 14 ou 15 anos. Esbarrei no Kodama em 2008 e vi um monte de gente fantasiada. Achei bem bacana, descobri uma comunidade completamente diferente de tudo o que eu conhecia. No ano seguinte eu estava la, de cosplay e tudo.
__________________________________________________________________________________________________________________
2- Enerdizando: Ser cosplayer é uma forma de arte muito legal e adoramos essa turma aqui no Enerdizando, mas sabemos que, como qualquer forma de arte, tem suas dificuldades. Qual o maior obstáculo na sua opinião?
Lara – Sinceramente, o maior obstáculo é a aceitação. Tem muita gente que não leva o meu trabalho a sério. Tem cosplayer que faz cosplay só para se divertir e foi assim que eu comecei. Nunca achei que cosplay fosse dar em nada. Hoje, faço design de roupas para vídeo games e AMO o que faço. Meu pai e meu irmão sempre me acharam meio louca, mas depois de ver que deu resultado, eles acabaram apoiando. O hobby ainda e visto (principalmente no Brasil) como uma coisa de maluco, mas se você parar para pensar quanta arte está presente em cada roupa, maquiagem e detalhes, não parece tao louco assim, não e?
__________________________________________________________________________________________________________________
HarleyQuinn01 cópia3- Enerdizando: O mercado brasileiro é muito diferente do americano? Quais as vantagens de trabalhar como cosplayr no Estados Unidos?
Lara – Eu não sei te dizer. O mercado brasileiro em relação ao cosplay está começando a crescer agora. Aqui nos EUA, já tem uns 10 anos que o mercado começou a bombar. Eu realmente não sei dizer o motivo de não trabalhar como uma cosplayer que vende “prints” ou vai a convenções dar autógrafos. Quando eu sou convidada, julgo concursos de cosplay, dou palestras ou vou promover alguma empresa. Ainda não aprendi a vender fotos minhas!
Na vida real, eu trabalho com algo completamente diferente e sei bem que em 10 anos eu não terei mais a aparência que tenho agora. A minha carreira em Game Developing sempre vai ser prioridade.
Artes tradicionais são muito importantes para construir uma boa armadura, alguma pintura digital,costura e etc. Para mim, essa parte nunca foi um obstaculo, muito pelo contrário. Eu sempre fui “arteira” e adoro aprender técnicas novas. No início eu tinha vergonha, achava que era perda de tempo e que eu devia focar em física e matemática (cursei brevemente engenharia na UnB) e parar de me vestir como uma personagem da Cultura Pop. Depois de me mudar para os Estados Unidos para estudar Video Game Developing, percebi que tudo o que tinha aprendido com cosplay poderia ser aplicado na faculdade. Isso sempre me deu uma grande vantagem na hora de criar um modelo 3D ou fazer o design de alguma textura. E claro, sempre que eu tenho fotos novas, eu gosto de fazer composições digitais, o que eu também aprendi na faculdade.
 __________________________________________________________________________________________________________________
4- Enerdizando: Quais experiências te marcaram mais até hoje como cosplayer, boas e não tão boas?
Lara – As minhas melhores experiências são quando eu viajo com meus amigos. Por exemplo, ano passado fomos em um grupo de oito pessoas para San Jose (Silicon Valley), para ir ao Fanime (minha convenção favorita). A gente se divertiu muito. Ficamos num hotel maravilhoso e a convenção foi  perfeita. Eu também adoro trabalhar para empresas de games, como já fiz para a Nintendo e para a Blizzard. As experiências ruins eu prefiro esquecer. Já tive casos em que um tarado/pedófilo, que aliás foi solto da prisão e continua indo a convenções, tentou me agarrar numa convenção da  Disney. No final, a polícia o tirou da convenção e eu fui embora. Depois daquilo a convenção morreu para mim, sabe? A equipe da Disney foi muito profissional e me colocou nos parques ate o fim do evento. Eu achei estranho, na entrada do parque haviam staff members me esperando. Foi  terrível e interessante ao mesmo tempo. No final eu me diverti muito.
Morrigan_Aensland_Composite cópiaAlexstrazsa2014 psylocke_beforeafter
__________________________________________________________________________________________________________________
5- Enerdizando: qual foi o melhor elogio que já recebeu nos eventos em que participa por ai?
Lara – “Sua roupa ficou maravilhosa” ou “Nossa, parece que você saiu da televisão!”
 __________________________________________________________________________________________________________________
6- Enerdizando: Existe algum personagem que você ainda não produziu devido a limitações de materiais disponíveis?
Lara – Sim e não, porque tem muita roupa que eu adoraria fazer, mas ainda não domino o material ou a técnica.
 __________________________________________________________________________________________________________________
7- Enerdizando: Qual foi o traje mais difícil de concluir?
Lara- Ainda está sendo. O traje da Samus. É uma armadura bem complicada. Eu quero que fique perfeita, então levo dias para finalizar uma pequena peça.
                                         __________________________________________________________________________________________________________________
8- Enerdizando: Qual seu personagem favorito? Só vale um!
Lara – Samus Aran, da série Metroid!
                                       __________________________________________________________________________________________________________________
Jaina01 cópia9- Enerdizando: Que mensagem você gostaria de transmitir a seus colegas cosplayers aqui no Brasil?
Lara – Eu sinto que a comunidade cosplay brasileira precisa de paz e amor. Não tenho tantos amigos chegados que fazem cosplay no Brasil, mas no facebook tenho vários. Vejo muita briga, intrigas, coisas desnecessárias e infantis acontecendo no momento.
Acho que a qualidade das roupas aumenta a cada dia, vejo ótimos fotógrafos trabalhando em eventos. Hoje em dia os materiais usados por cosplayers internacionais, como o Worbla, são mais fáceis de conseguir e isso aumenta ainda mais a capacidade de se criar um traje maravilhoso.
Quer conhecer mais sobre Lara Lunardi e suas aventuras emocionantes como cosplayer? Acesse: laralunardi.com e visite sua fan page no Facebook.
Fotos: Hivemindyoutube_profile
%d blogueiros gostam disto: